fechar
CarreiraPersonal Branding

7 Dicas para melhorar as suas chances de encontrar trabalho através das redes sociais

De um tempo para cá, o Curriculum Vitae de papel entrou em desuso. Isso aconteceu porque cada vez mais os profissionais de RH de médias e grandes empresas buscam outras alternativas para encontrarem e conhecerem melhor os perfis dos candidatos.

Então a pergunta que fica no ar é: “Como posso melhorar as minhas chances de encontrar um trabalho hoje em dia?”.

Isso depende do setor, mas, em geral, a maior parte do movimento migrou para o ambiente digital. E não me refiro apenas aos portais de emprego, mas também às redes sociais.

Pensando nisso, quero compartilhar neste artigo alguns conselhos de como se posicionar no ambiente online e melhorar as suas chances de encontrar trabalho através das redes sociais. A maioria me ajudou e espero que te ajude também.

#1 Cuide de sua reputação online

Quantos perfis você criou?

Agora responda: quais deles são atualizados religiosamente?

Eu costumo dizer que não adianta ter perfil em várias redes sociais quando você não se preocupa em mantê-las atualizadas.

Se você está em alguma rede social apenas por estar, será apenas mais um usuário. E quem segue um perfil inativo ou desatualizado?

O próximo passo é configurar adequadamente a privacidade das suas redes sociais:

  • Será que vale a pena deixar o seu perfil público no Facebook?
  • Existem informações embaraçosas? (Como assim? Fotos comprometedoras, comentários agressivos e assim por diante…)
  • Regra de ouro: mostre apenas o que você considera útil. É uma questão de bom senso.

#2 Mudança de Mindset

Uma dos termos que mais ouvi em 2015 foi o tal de mindset.

Mindset nada mais é do que o modo como você vê o mundo. Essa visão está baseada no seu conjunto de experiências, crenças e valores.

Ok, mas o que isso tem a ver com o nosso artigo?

Bom, provavelmente você busque trabalho por meio de agências e envio do seu CV clássico em formato Word ou PDF para várias empresas e acha que essa é a única maneira de se conseguir trabalho.

Ok, isso é um começo, mas não o suficiente: as empresas têm outras maneiras de verificar se você é uma pessoa adequada para um emprego.

Já é comum alguns recrutadores pesquisarem os candidatos nas redes sociais. Se eles virem algo que não gostem, você poderia ter que fechar suas portas para sempre. Parece um tanto radical… mas é o que está acontecendo.

Procurar emprego através da Internet requer uma mudança de mentalidade. Sua identidade digital é a sua carta de apresentação: nome e sobrenome são uma senha para acessar o seu passado. Tudo o que postar na rede pode ser usado contra ou a favor de você.

Então lembre-se: antes de iniciar sua busca por trabalho, você deve estar ciente da sua presença online.

#3 Mude a sua maneira de agir nas redes sociais

Quase todas as empresas têm regulamentos que regem o uso de redes sociais e ferramentas de comunicação. Em muitos casos, a publicação de comentários inadequados ou ofensivos causou escárnio generalizado nas mesmas redes sociais em que os eventos ocorreram e, o que é pior, demissões.

Evitar o desastre é tão simples como tomar algumas precauções.

Ficou insatisfeito com algo? Procure o canal correto para expressar a sua opinião sobre o assunto. No impulso, podemos cometer erros que podem nos prejudicar.

Lembro-me de um episódio quando eu trabalhei em uma consultoria (na qual era responsável pela gestão dos profissionais, inclusive as contratações) e curti um perfil no Twitter que era algo do tipo “@RHdoInferno”.

Confesso que ria muito com as publicações daquele perfil, porque ele ironizava o dia-a-dia do recrutador.

E não é que minha gerente, a pedido de um diretor da empresa, falou que essa conduta não era adequada? Pois quem via as publicações que eu compartilhava poderia interpretar que aquilo estava relacionado à empresa…

Foi uma situação estranha. Queria deixar pública a minha insatisfação com a atitude autoritária do diretor, mas provavelmente ele ia ler e ai poderia ter mais consequências… Então o que eu fiz? Parei de seguir o perfil, mas sempre olhava as publicações e me divertia do mesmo jeito, mas sem compartilhar e não tive mais pedidos para evitar de fazer algo nas minhas redes sociais.

Nesse momento, procurei adotar a política da boa vizinhança.

#4 Crie um cartão de visita 3.0

Como você se apresentará online se não pode dar um cartão de visita de papel?

A resposta é muito simples: com um cartão digital. Isso não significa que você precisa criar uma imagem com os seus dados de contato e deixar nas suas redes sociais… Longe disso… Você pode criar perfis em redes sociais específicas para isso, como é o caso do about.me, do branded.me ou do flavors.me.

Confesso que fazia tempo que não entrava no meu about.me… Mas aproveitei essa oportunidade para atualizá-lo.

Olha só como ficou!

Perceba que eu fiz uma breve descrição da minha carreira, mencionei as minhas principais atividades profissionais, meus objetivos e relacionei os meus artigos que posto tanto em meu blog como em outros portais.

Que tal você atualizar o seu perfil no about.me ou criar um?

Conheça o branded.me e flavors.me e crie o seu perfil na plataforma que mais gostar 🙂

Depois de você criá-lo, envie o link para mim através dos comentários do blog para eu ver como ficou? (Como sou curiosa, né?).

#5 Use uma foto de perfil profissional

Ter uma imagem profissional, tanto no CV quanto em perfis que estão na Internet, é fundamental.

Ter uma boa fotografia é essencial, pois sem uma imagem de perfil, a chance dele ser consultado pelos recrutadores diminui em 60%.

A imagem deve ser profissional, mas isso não significa que você precisa usar um terno ou um tailleur.

O importante é evitar fotografias cortadas: às vezes você gostou de uma foto sua com seus amigos e então coloca no seu Linkedin, mas dá para ver um pedaço do ombro de alguém que está ao seu lado, por exemplo. Ou ainda o clássico caso das selfies com biquinhos… Ok, as pessoas têm personalidade e querem demonstrar isso, mas para a foto do perfil do Linkedin pode não ser a melhor opção. Parece bobagem, mas é incrível a quantidade de profissionais que insistem em fazer isso. Melhor evitar, combinado?

A seguir, vou compartilhar algumas dicas que podem ser úteis na hora de escolher a foto ideal para o seu perfil.

Vamos lá?

Escolha de uma foto para compôr o seu perfil em todas as redes sociais

Tente encontrar uma foto que você goste e que demonstre quem você é. A sua missão é demonstrar o seu profissionalismo e seriedade através dessa imagem.

O ideal é que na foto dos seus perfis nas redes sociais apareça rosto e ombros.

Atenção às roupas

Nas redes sociais profissionais, como é o caso do LinkedIn, você deve evitar usar fotos que esteja vestida (o) para uma uma festa, ou muito casual. Escolha as cores e roupas de acordo com o seu setor profissional. Ainda existe, por exemplo, aquele padrão o qual uma profissional da área financeira não pode se vestir da mesma maneira que um profissional do ambientes criativo.

O fundo da foto é importante

Ao escolher uma imagem para seus perfis sociais, é importante escolher uma cujo fundo seja de cor clara. Essa é a melhor maneira de destacar a sua imagem, evitando objetos que distraiam a atenção do recrutador e também criando um ambiente mais profissional.

Cuidado com o tamanho e qualidade

Em geral, as fotos dos perfis das redes sociais tem tamanho pequeno (150 x 150px). O formato pode ser jpg, png ou gif com ocupando um espaço de no máximo de 4MB.

Nomei a imagem corretamente

Ao mesmo tempo que você deve se atentar para que a sua imagem seja profissional, lembre-se que existe uma coisa chamada “Google Imagens” a qual pode te ajudar a aparecer mais e melhor nas buscas. Então lembre-se de nomear as suas imagens com o seu nome e sobrenome separados por hífens. Por exemplo: priscila-stuani.jpg.

Você é o protagonista, que fique claro!

Por mais estranho que possa parecer, não é incomum encontrar perfis de pessoas físicas com imagens do logotipo ou uma fotografia do edifício da sua empresa. Lembre-se que no seu perfil, o protagonista é você. Você é o dono de sua marca pessoal, por isso não hesite em tirar o máximo de proveito da sua imagem.

#6 Siga os experts e as empresas da sua área

Siga as empresas nas quais deseja trabalhar através de seus perfis corporativos em redes sociais. Dessa forma, você poderá obter informações relevantes sobre a empresa e também pode descobrir, antes de outros usuários, vagas para se candidatar.

Você pode até mesmo apresentar a sua candidatura através dessas redes sociais. Siga também os líderes da indústria, profissionais e especialistas com quem você pode se envolver em conversas e até mesmo explorar novas formas de colaboração.

#7 Cuidado com os erros

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, é essencial saber como explorar as vantagens oferecidas pelos meios de comunicação social, ainda mais para encontrar trabalho.

No entanto, considero oportuno comentar sobre algumas práticas ruins que podemos evitar.

Espalhar os seus problemas pessoais só pode gerar mais problemas.

Você se lembra de quando meu diretor não gostou quando eu compartilhava os tweets do @RhDoInferno? Imagine se eu publico no meu Twitter indiretas (ou diretas) para ele?!

Certamente coisa boa não daria…

É importante entendermos que as redes sociais são muito mais do que apenas uma maneira de compartilhar fotos com amigos ou acontecimentos, elas também podem se tornar poderosas ferramentas de marketing online.

As redes sociais também podem ser uma faca de dois gumes. A seguir, apresentarei alguns erros a se evitar quando você busca trabalho através das redes sociais.

  • Evite falar sobre aspectos negativos da sua vida profissional. Todos nós temos momentos de trabalho em que ficamos insatisfeitos. No entanto, ventilar os seus problemas de trabalho no mundo online e falar mal de seu chefe em comentários publicados só vai trazer mais problemas. Não faça das redes sociais o seu muro das lamentações.
  • Não entre em polêmica. Temas como política, religião, futebol, drogas e sexo podem gerar controvérsias para muitas pessoas. Por mais que você se sinta tentado a abrir o seu coração e falar sobre suas opiniões e crenças, lembre-se que elas podem ofender a sensibilidade dos outros ou ajudar a construir uma imagem de você que não necessariamente corresponde à realidade.
  • Preste atenção a sua imagem pessoal. Fotos daquela festança que rolou no fim de semana, do aniversário do seu melhor amigo ou qualquer imagem que possa comprometer a sua reputação devem permanecer na privacidade do seu computador. Outra alternativa menos radical é compartilhar no seu Facebook no modo privado.
  • Cuidado com a ortografia. Erros de ortografia ou erros gramaticais podem comprometer a sua imagem profissional. Independente se você é um jornalista, engenheiro ou enfermeiro, sempre tome cuidado com este aspecto em todos os momentos.

Resumindo…

Vimos algumas maneiras de nos posicionarmos melhor no ambiente online. Estar simplesmente por estar nas redes sociais não é garantia de conseguirmos um emprego.

Se você descobrir qual posicionamento ter, poderá trabalhar melhor a sua presença tanto no ambiente offline quanto online.

Lembre-se sempre de ter claro as respostas sobre:

  • Quem sou eu?
  • O que posso e quero oferecer ao mercado e às pessoas?
  • Como quero ser reconhecido?

Isso te ajudará a melhor se posicionar e fortalecer a sua reputação.

Primeiro preocupe-se em manter suas redes sociais atualizadas, dando uma descrição de seus interesses e objetivos, além disso, tome alguns cuidados, como o caso da fotografia do perfil, ortografia e não fazer das redes sociais o seu diário sobre maus tratos no trabalho ou na vida pessoal.

Interaja com as pessoas e marcas, compartilhe conteúdos que tenham a ver com os seus interesses.

Não entre em polêmicas, seja gentil e se discipline para manter as suas redes sempre com conteúdos relevantes. As pessoas só vão prestar atenção no que você tem a dizer se você for útil.

Tags : CarreiraCVMarca PessoalPersonal BrandingRedes SociaisRH
Priscila Stuani

Autora Priscila Stuani

Graduada em Marketing (UAM), Pós-graduanda em Neurociência aplicada à educação (UAM). Depois de atuar no mercado de serviços B2B por 7 anos, me tornei facilitadora do aprendizado, faço a interface entre o aluno e a teoria/prática. Também estou focada em apoiar profissionais no processo de criação de posicionamento no ambiente digital através do conteúdo para blogs e redes sociais.