fechar
LifeStylePersonal Branding

7 Hábitos de pessoas com alto nível de inteligência emocional

A inteligência emocional é um fator importante para a nossa felicidade, não só no trabalho, mas também nas relações pessoais em todas as áreas da vida.

Quantas vezes você se arrependeu de ter dado uma resposta ríspida? Ou ter respondido algo que depois você se arrependeu?

Infelizmente isso acontece mais vezes do que queremos e eu te entendo, também sou vítima de sentimentos, palavras e ações que geralmente poderiam ser sentido, dito e feito de outra maneira.

Cansei de ser refém desse tipo de comportamento e por mais que eu ainda esteja aprendendo, às vezes errando mais do que acertando, tomo a liberdade de compartilhar algumas coisas que aprendi durante essa jornada, mais conhecida como vida.

Então que tal começar a conhecer melhor as nossas emoções para saber como controlar e nos comunicar com os outros de forma mais produtiva e menos sofrida?

Vamos lá:

1. Concentram-se no positivo

Pessoas emocionalmente inteligentes tomam uma decisão consciente de não gastar muito tempo e energia focando nas dificuldades.

Eles procuram soluções, se concentram no que são capazes de fazer e aquilo que está dentro de seu controle. Ou seja, quando se pegar remoendo coisas do passado (ou não tão passado assim), respire fundo, aceite e pense no que você pode fazer agora para continuar a sua vida.

2. Eles se cercam de pessoas positivas

Eles não perdem tempo em ouvir pessoas que se queixam por tudo. Sabe aquela pessoa que gosta de reclamar? Se está frio, se está calor, se está chovendo… Então se você conhece alguém assim (ou se você é assim, preste atenção), evite elas. Pessoas negativas consomem a nossa energia e quem tem inteligência emocional não está disposto a deixar que os outros esgotem a sua vitalidade.

Invista o seu precioso tempo com outras pessoas positivas, sorria mais e atraia outras pessoas positivas. Sua energia, alegria e atitude faz com que os outros confiem mais em você.

3. Eles são capazes de estabelecer limites

Apesar da sua natureza amigável, eles também são capazes de estabelecer limites e afirmar-se quando necessário. Eles demostram cortesia e consideração, mas permanecem firmes com as suas ideias.

Eles não fazem inimigos desnecessariamente. Costumam pensar antes de falar e tem tempo para se acalmar se suas emoções parecem tornar-se irresistível. Respeitam o seu tempo e compromissos. Eles sabem quando dizer “não”. Saber dizer não, pelo menos para mim foi uma das coisas mais difíceis que precisei aprender, mas saber dizer não é fundamental.

4. Pensam e olham para a frente

Eles aprendem com os seus erros do passado e aplica o que aprendem em suas ações no futuro. Eles nunca vêem o fracasso como permanente. Eles sabem que manter em mente e se concentrar em seus objetivos de curto, médio e longo prazo é o melhor a ser feito. Entenda que esta visão é a chave para o progresso.

5. Procuram novas formas de viver

Eles sabem o que os torna felizes e sempre estão à procura de mais oportunidades excitantes para prolongar esse prazer. Eles sentem prazer e satisfação de compartilhar e ver os outros felizes e realizados.

6. Escolhem onde investir sua energia emocional

Eles não se apegam a raiva. Eles usam os incidentes para melhorar a sua consciência de como evitar que isso aconteça novamente.

Eles sabem como perdoar e virar a página em termos de não cultivar ressentimentos. Neste sentido, eles dão um contexto para as experiências passadas conflitantes para realmente curar.

7. Aprendem continuamente

Eles são eternos aprendizes. Estão constantemente crescendo e evoluindo, sempre abertos a novas ideias e sempre dispostos a aprender com os outros.

Para ser pensadores críticos e mentalmente flexíveis, eles podem mudar de ideia se alguém tiver uma melhor.

Eles estão abertos às ideias dos outros e confiam em si mesmos. Seu próprio julgamento para tomar a melhor decisão é uma das suas principais armas.

Sem truques

Repare que eu não usei a palavra “truques” ou “ferramentas” para você viver melhor, porque o mais importante é ter consciência de quais ferramentas podemos usar em um determinado momento e como nos adaptamos às circunstâncias.

Também não usei o termo “segredo” de propósito. Provavelmente as ideias que você vê abaixo vai ser muito “óbvio”.

No entanto, é bom lembrar que o “óbvio” é, ironicamente, o mais esquecido, o mais ignorado.

Dito isso, quero te convidar para refletir sobre 7 critérios que podem melhorar a sua qualidade de vida:

  • Faça as pazes com seu passado.

Não perturbe o seu presente e nem sabote o seu futuro. Lembre-se que você não pode mudar o passado. Portanto, não ruminar pode te tornar mais produtivo. Aproveite a oportunidade para transformar a aprendizagem. Não vire a página, troque de livro.

  • Dê tempo ao tempo.

O tempo cura quase tudo nas relações humanas. Não pressione, o tempo não tem atalhos. Repouse. Respire. Uma pequena pausa pode fazer uma grande diferença.

  • Você é o dono da sua felicidade.

Nada mais. É sua decisão. Ele não depende de seu ambiente, mas como sim de como você pensa e interpreta as coisas. Favoreça o seu bem-estar, você só tem a ganhar com isso.

  • Não rotule os outros.

Rotular é julgar e condenar alguém por um dos seus comportamentos. Você se limita quando limita os outros, porque isso cria barreiras entre você e as pessoas.

  • Você não tem que saber tudo.

Não ter respostas é uma oportunidade para aprender mais. Muitas respostas extraordinárias podem surgir de modo inesperado.

  • Ria de você.

É um exercício saudável para os excessos do ego. Ele permite que você exerça flexibilidade e controle mental sobre suas emoções.

Como você viu, estes critérios podem ser bons exercícios para estimular a sua inteligência emocional, porque eles ajudam a exercer a sua consciência e controle das suas emoções, a fim de construir relações positivas e produtivas.

Gostou?

Espero que esse breve artigo tenha te ajudado a pensar sobre como você tem agido e como pode melhorar daqui em diante.

Se você gostou, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário. 🙂

Um abraço e até a próxima.
Priscila Stuani

Tags : AutoConhecimentoInteligência EmocionalMarca PessoalPersonal Branding
Priscila Stuani

Autora Priscila Stuani

Graduada em Marketing (UAM), Pós-graduanda em Neurociência aplicada à educação (UAM). Depois de atuar no mercado de serviços B2B por 7 anos, me tornei facilitadora do aprendizado, faço a interface entre o aluno e a teoria/prática. Também estou focada em apoiar profissionais no processo de criação de posicionamento no ambiente digital através do conteúdo para blogs e redes sociais.